Concurso Polícia Civil-RJ: aprovados terão salários maiores em 2019

Remunerações chegarão a R$18 mil

Previsto para 2019, o concurso da Polícia Civil-RJ tem uma novidade para os interessados nas 96 vagas. O governo do Estado do Rio de Janeiro confirmou o reajuste salarial dos servidoresda Segurança Pública para este ano.
 
Dessa forma, os aprovados na seleção terão direito a remunerações maiores das que foram pagas em 2018, por exemplo. Os dados indicam que percentuais de 3,24 a 8,49 serão
incorporados aos vencimentos básicos dos cargos.



Esse aumento representa a quinta parcela de um pacote de reajustes aprovado pelo ex- governador do Rio, Luiz Fernando Pezão, em 2014. De acordo com a Lei 6.833, os servidores
que estão na ativa receberão o percentual cheio. Com concurso autorizado, os aprovados também deverão integrar a lista de beneficiados com
o aumento. Isso também será válido para aposentados e pensionistas que entraram na corporação antes de 2003.

Quem for inativo posterior a essa data receberá o percentual conforme a inflação acumulada no ano passado, de 3,43%.

O reajuste será aplicado sobre o salário de janeiro de 2019. Portanto, os servidores só poderão usufruir de um rendimento maior a partir do pagamento de fevereiro.

Veja como ficará as remunerações da PC-RJ

As 96 vagas do concurso Polícia Civil-RJ serão distribuídas entre cinco cargos. São eles: auxiliar de necropsia (seis), técnico de necropsia (quatro), inspetor (50), perito legista (20) e delegado (16).

Na tabela abaixo, confira como era a remuneração em 2018 e como ficará a partir deste ano.
Os valores já incluem o auxílio-alimentação de R$264.

Durante o curso de formação profissional, os candidatos terão direito a bolsa auxílio. Esse valor será correspondente a 80% do vencimento inicial de cada carreira, sem considerar a
incidência de descontos relacionados com o regime próprio de previdência.

Novo secretário de Polícia Civil-RJ reconhece déficit

A Polícia Civil do Rio enfrenta grave crise de pessoal. O ideal, segundo a legislação, seria o efetivo de 23 mil agentes. Porém, a corporação conta, atualmente, com pouco mais de 8 mil
policiais. A carência de milhares de profissionais atrapalha o funcionamento da instituição e, sobretudo, a solução e investigação de crimes no estado.
O novo secretário de Polícia Civil do Rio de Janeiro, Marcus Vinicius Braga, reconheceu que o déficit de agentes será um dos principais desafios de sua gestão. Sem concursos em validade para suprir a demanda, ele prevê que a situação pode piorar. “Temos hoje 8,5 mil agentes, sendo que, deste total, 30% estão prestes a se aposentar. A
carência de recursos humanos é impressionante”, revelou Braga em entrevista ao jornal O Globo.

Um quantitativo maior de vagas no concurso autorizado poderia ser uma forma de solucionar o problema. A PC-RJ, no entanto, tem que seguir as regras do Plano de Recuperação Fiscal, ao qual o estado do Rio está submetido.

A corporação só pode preencher cargos que ficaram vagos por aposentadorias, mortes ou exonerações, a partir de setembro de 2017, quando foi adotada a medida protetiva.

Governador Witzel pretende reverter déficit na PC-RJ

O secretário de Polícia Civil adiantou que o governador Wilson Witzel está ciente da situação do baixo efetivo. “Há um déficit de, no mínimo, 150 delegados. O governador está ciente do problema, mas não podemos nos esquecer de que estamos sob regime de um Plano de Recuperação Fiscal. Só posse fazer concurso para 16 delegados, pois este foi o número de policiais que se aposentaram desde que a medida teve início”, explicou.

Durante sua posse, no dia 3 de janeiro, Marcus Vinicius anunciou a inauguração de delegacias de homicídios em Macaé e em Volta Redonda, no interior do estado. Com a falta de policiais, ele foi obrigado a fazer uma ‘reengenharia administrativa para realocar pessoal’. “Além disso, 225 policiais, formados no concurso de 2014, estão entrando para a corporação esta semana. Para criar as novas delegacias, usaremos os novos agentes. Outra parte irá para o  Departamento Geral de Homicídios e Proteção à Pessoa (DGHPP)”, adiantou o secretário.

O governador Witzel firmou, em entrevista coletiva, o compromisso de adotar medidas para suprir o déficit da Polícia Civil do Rio até o final do ano.

Temos que fazer com que alguns contratos sejam revistos para que possamos tomar medidas orçamentárias. O orçamento é deficitário e há necessidade material para se cumprir hoje os
mínimos constitucionais, mas as medidas que vamos tomar até o final do ano vão permitir que o déficit seja suprido", expressou Wilson Witzel.

Os preparativos do concurso Polícia Civil-RJ foram paralisados, no final de 2018, em função da troca do governo estadual. De acordo com informações do portal Folha Dirigida, com a posse da nova gestão, os trâmites para publicação dos editais serão retomados. Por isso, não deixe sua preparação para última hora. O Concursos com Trânsito tem cursos
especiais que te ajudarão a conquistar uma vaga na PC-RJ.


Publicado em 29/01/2019 às 14:51:02
Compartilhe com os amigos: