Concurso PRF: inscrições encerradas! Taxa pode ser paga até janeiro

Interessados podem pagar taxa de R$150 até 15 de janeiro

As inscrições do concurso para Polícia Rodoviária Federal (PRF) foram encerradas na última terça-feira, 18 de dezembro, sem prorrogação. Agora, os candidatos devem ficar atentos a outro prazo: o do pagamento das taxas de inscrição!
Para confirmar a participação no concurso é preciso pagar a taxa de R$150 até o dia 15 de janeiro. Então, se você ainda não fez o pagamento, marque essa data na agenda para não deixar de concorrer as 500 vagas de policial rodoviário federal. 
Os boletos estão disponíveis para impressão pelo site do Cebraspe (antigo Cespe/UnB), banca organizadora da seleção. O pagamento é aceito em qualquer agência bancária e também nos Correios e Casas Lotéricas. 
Para se inscrever foi necessário ter nível superior completo em qualquer área, idade até 65 anos e Carteira Nacional de Habilitação a partir da “categoria B”. A remuneração inicial da carreira é de R$9.931,57, já incluído o auxílio-alimentação de R$458. No próximo ano, tais valores terão aumento e passarão a R$10.357,88 para jornada de 40 horas.    

No ato da inscrição, também foi preciso indicar o estado para o qual desejava concorrer e também realizar as etapas da seleção. O concurso PRF deste ano trouxe essa novidade em relação ao edital anterior para ingresso na corporação, divulgado em 2013. 
O novo concurso veio regionalizado. Ou seja, as vagas foram distribuídas entre diferentes estados brasileiros. Ao contrário das últimas seleções da PRF, as provas não serão aplicadas em todas as capitais brasileiras e no Distrito Federal e apenas nas capitais dos estados em que houver oferta de vagas. 

MPF confirma provas do concurso PRF nos estados de lotação

A questão dos locais de prova do concurso PRF surpreendeu muitos interessados na carreira. Prova disso é que o Ministério Público Federal (MPF) recebeu diversas solicitações para que as avaliações fossem realizadas em mais estados. 
Tais processos, entretanto, foram arquivados esta semana. Dessa forma, as provas objetivas – marcadas para 3 de fevereiro de 2019 – estão mantidas, seguindo o cronograma divulgado no edital do concurso. 
O Procurador da República, Marcelo Borges de Mattos Medina, decidiu que as supostas irregularidades não afetam a isonomia do concurso. Sobre esse ponto, ele destacou que devem ser levadas em consideração as condições de prova, número de questões, nível de dificuldade e tempo de duração.

De acordo com ele, dificilmente serão igualadas as circunstâncias para cada candidato, como por exemplo, o meio de transporte utilizado até o local de prova, a distância ou a qualidade do sono na noite que antecede a avaliação. Se a pessoa optou por concorrer as vagas do estado, se pressupõe o interesse de trabalhar ali pelo período mínimo de tempo. 

“Ora, o interesse da Administração em fixar o servidor em localidades de provimento possivelmente mais difícil não pode ser negligenciado. E a escolha pelo candidato das vagas que disputará não pode ser orientada apenas pela concorrência mais ou menos acirrada que espera encontrar. Nesse sentido, a exigência de realização das provas nos próprios Estados em que se localizam as vagas em disputa, além de atender aos imperativos de ordem logística, mostra-se coerente com o interesse em que os candidatos demonstrem real disposição de ali permanecer, caso aprovados, pelo período mínimo de três anos", consta na decisão do MPF.

Provas objetivas do concurso PRF terão 120 questões

O concurso PRF será composto por diferentes etapas. As primeiras serão provas objetivas e discursivas, de caráter eliminatório e classificatório. A aplicação está prevista para o dia 3 de fevereiro. 
Os concorrentes deverão responder a 120 questões, além de elaborar uma redação no estilo dissertativo. Os itens da prova objetiva estarão divididos em três blocos de conhecimento. São eles:
Bloco I – 50 questões: Língua Portuguesa, Raciocínio Lógico-Matemático, Informática, Noções de Física, Ética no Serviço Público, Geopolítica Brasileira, História da PRF;
Bloco II – 40 questões: Legislação de Trânsito;
Bloco III – 30 questões: Noções de Direito Administrativo, Noções de Direito Constitucional, Legislação Especial, Direitos Humanos e Cidadania, Noções de Direito Penal e Direito Processual Penal. 

Uma das novidades do concurso para policial rodoviário federal deste ano é o retorno das muitas questões de Legislação de Trânsito. Somente essa disciplina representa um terço da prova objetiva. Aqui no Concursos com Trânsito, você tem acesso a diferentes cursos e professores que te ajudarão a conquistar uma boa nota e a tão sonhada aprovação. 
O Cebraspe, banca do concurso PRF, tem o costume de não apresentar uma questão com cinco opções de respostas. O candidato tem que julgar sentenças como ‘certas’ ou ‘erradas’. Com um detalhe: um erro significa a perda dos pontos de um acerto! 
Segundo o edital da seleção, será considerado classificado na objetiva quem obtiver mais de 10 pontos no bloco I, 12 pontos no bloco II, seis pontos no bloco II e 48 pontos no conjunto.
 


Publicado em 27/12/2018 às 14:07:21
Compartilhe com os amigos: