PMERJ confirma estudos para novo concurso de soldados

A Secretaria de Estado de Polícia Militar do Rio de Janeiro confirmou que o novo concurso para soldados já está em estudo. A declaração foi dada pelo porta-voz da corporação, coronel Mauro Fliess, em entrevista coletiva no dia 28 de janeiro.

De acordo com ele, os preparativos internos da seleção já começaram. O grande obstáculo para o novo edital, no momento, é a chamada de todos os aprovados no último concurso PMERJ, realizado em 2014.

"Já estão sendo feitos estudos internos para a realização desse concurso. É só uma questão de chamar os aprovados da última seleção para poder lançar um novo edital", destacou Fliess.

A boa notícia é que o governador Wilson Witzel garantiu que 3 mil novos policiais militares serão convocados para o curso de formação profissional ainda este ano. Tais chamadas serão viabilizadas com parte do orçamento da Assembleia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro (Alerj).

A primeira turma, com 500 aprovados, está prevista para começar as aulas no dia 18 de fevereiro. Confira como será o calendário de convocação:

  • Fevereiro: 500 convocações;

  • Abril: 800 convocações;

  • Julho: 450 convocações;

  • Agosto: 450 convocações;

  • Novembro: 400 convocações;

  • Dezembro: 400 convocações.

Novo concurso PMERJ deve ser autorizado este ano

A PMERJ, por sua vez, pretende agilizar os preparativos da nova seleção. Segundo o porta-voz da corporação, a expectativa é que a autorização para o novo concurso saia ainda em 2019. Isso porque o governador já demonstrou interesse de reforçar, continuamente, os quadros da Polícia Militar.

"Há bastante expectativa de que seja autorizado este ano. Afinal, este é o alinhamento que o governo estadual está promovendo junto com a corporação", afirmou o representante da PM.

A Lei de Responsabilidade Fiscal, ao qual o Estado do Rio de Janeiro está submetido, não interferirá na abertura de uma nova seleção para soldados. É possível repor os quadros de servidores que se desligaram por mortes e aposentadorias. Essa é a garantia do coronel Mauro Fliess.

"A LRF nos permite recompletar automaticamente os policiais que completaram seu tempo de serviço e estão indo embora. Por enquanto, ainda temos policiais concursados para serem chamados. Após isso, um novo concurso será feito para preencher o quadro de policiais que vão ser inativados", esclareceu.

Para ser um soldado da PMERJ é preciso ter ensino médio completo, idade de 18 a 30 anos e Carteira Nacional de Habilitação (CNH). No decorrer do curso de formação, os ganhos são de R$2.213,62.

Depois da formatura, o valor passa para o vencimento inicial da carreira que é de R$3.452,55. A Polícia Militar do Rio contrata pelo regime estatutário, que assegura a estabilidade ao servidor.

Witzel quer contratar 6 mil novos soldados até 2020

A confirmação dos preparativos do novo concurso já era esperada. Isso porque Wilson Witzel, em entrevista coletiva, tinha anunciado a intenção de contratar 6 mil soldados até 2020.

Como o último concurso da PMERJ teve apenas 4 mil aprovados, sobrariam vagas para uma nova seleção. Em decorrência das diversas etapas, para que as chamadas ocorram no próximo ano, o edital deve sair em 2019.

“Ano que vem vamos chamar mais 3 mil policiais. A ideia é recompor os quadros da Polícia Militar para que nós façamos frente à necessidade de segurança”, explicou o chefe do executivo.

Logo que assumiu o poder estadual, Witzel adiantou que realizaria concursos anuais para Polícia Militar com duas mil vagas para soldados.

“Todo ano faremos concurso público para 2 mil policiais”, disse o governador em coletiva, no dia 5 de janeiro.

Último concurso PM-RJ teve oferta de 6 mil vagas

Realizado em 2014, o último concurso para soldados da Polícia Militar do Rio teve oferta de 6 mil vagas. A banca organizadora foi a Exatus. A seleção foi composta por sete etapas, sendo elas:

  • Exame intelectual (prova objetiva e redação);

  • Exames psicológico e antropométrico;

  • Prova física;

  • Teste toxicológico;

  • Exame médico;

  • Pesquisa social e documental.

A prova objetiva, de caráter eliminatório e classificatório, teve 40 questões distribuídas por Língua Portuguesa, História, Geografia, Sociologia, Informática, Legislação de Trânsito e Direitos Humanos.

Já na redação, os concorrentes tiveram que elaborar um texto de 20 a 30 linhas. Foram corrigidas 30 mil provas discursivas.

De acordo com o edital, foram aprovados na primeira fase os candidatos que não zeraram em nenhuma disciplina, além de alcançarem o mínimo de 50% de aproveitamento nas notas das provas objetivas e discursivas.

O exame psicológico, de caráter eliminatório, aprovou os candidatos com funções mentais e habilidades específicas, além de características de personalidade compatíveis com o cargo.

Na terceira fase do concurso foi feito o exame antropométrico, que mediu o Índice de Massa Corporal (IMC), de acordo com a tabela referente ao subitem 12.3.2 do edital.

Já no exame físico (quarta etapa), de caráter eliminatório, foram cobrados os seguintes exercícios: os homens fizeram tração na barra fixa (duas repetições), 35 abdominais tipo remador e corrida de 2.200 metros em 12 minutos.

Já as mulheres tiveram que realizar 15 flexões de braços e antebraços, 25 abdominais tipo remador e corrida de 1.800 metros em 12 minutos. 

 


Publicado em 30/01/2019 às 18:37:36
Compartilhe com os amigos: